IGAE investiga distribuição de 450 casas no Luena
A Inspecção Geral da Administração do Estado (IGAE) no Moxico vai investigar alegadas irregularidades ocorridas na atribuição das 450 casas da Urbanização “4 de Fevereiro”, no Luena, destinadas às famílias em zonas de riscos.

A pretensão da IGAE resulta das denúncias da população feitas por via das redes sociais, em que acusam a Administração Municipal do Moxico (sede) de ter preterido do processo os moradores do bairro Zorró, Aço e Kwenha, que perderam casas nas margens das ravinas, tendo sido cadastrados para o realojamento.

Em declarações sobre as denúncias da população, o delegado provincial da IGAE, José Amândio, assegurou que havendo denúncias de cidadãos preteridos dos imóveis, a instituição poderá despoletar um processo para apurar a legalidade do processo de distribuição.

purou que das mais de 300 famílias cadastradas, residentes em zonas de alto risco, apenas sete, que viviam nas imediações da “ravina da engenharia”, no bairro Kwenha, foram realojadas para as 450 casas.

O projecto habitacional de 450 casas, construídos com fundos públicos, no bairro 4 de Fevereiro, arredores do Luena, com um orçamento de mais de 27 milhões de norte-americanos (1 USD equivale 433,31 kwanzas ) tinha sido projectado para acudir mais de duas mil pessoas que vivem em zonas de risco.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
1
   
0
   

Comentários